Manaus, 24 de Abril de 2017
Siga o JCAM:

Setor de refrigeração adensa produção

Por: Priscila Caldas pcaldas@jcam.com.br
06 Abr 2017, 13h56

Com investimentos de R$ 3 milhões, a empresa estadunidense Chemours (NYSE: CC), inicia atividades no PIM (Polo Industrial de Manaus). A indústria química produz fluído refrigerante para aplicação em condicionadores de ar domésticos, comerciais e bombas de calor. A empresa atenderá aos fabricantes de ar-condicionado instalados em Manaus, com pretensão de ainda neste ano, fornecer insumos às empresas que operam em países da América do Sul. Na avaliação de empresários e consultores, o fornecimento de insumos para o setor de ar-condicionados fortalece a cadeia produtiva e gera empregos ao Estado.

A empresa opera em Manaus desde 2013, mas como um Centro de Distribuição de fluídos refrigerantes. Agora, a unidade passa a produzir o fluído R-410A, que não degrada a camada de ozônio.

De acordo com o presidente da Chemours no Brasil, Maurício Xavier, a capacidade produtiva da empresa no PIM é de oito mil toneladas por ano. Ele afirma que o tempo de entrega dos produtos reduzirá significativamente, que beneficiará os clientes que operam na capital.

"Essa nova planta representa um importante passo para a Chemours, visto que demonstra um compromisso com nossos clientes. Fortalecemos nosso relacionamento com aqueles que atendemos localmente e, além disso, reforçamos nossos objetivos de expandir os negócios na região. Esse fluído refrigerante, até então, era importado e, considerando as condições geográficas, a entrega em Manaus exigia um tempo ainda maior do que em outras capitais. Com a unidade em funcionamento, a redução do prazo da entrega será de 90%", explica Xavier.

O presidente ainda destaca que a utilização do produto nacional no produto final adensa a cadeia produtiva e fomenta a economia nacional. Ele destaca que a missão da empresa é investir e entregar produtos e inovações de alta qualidade.

"A partir de agora, as indústrias de Manaus também poderão contar com o benefício de ampliar a utilização de produtos nacionais em seu produto final, fomentando a indústria local e a economia nacional, além de aumentar a vantagem competitiva", finaliza Xavier. 

Segundo o gerente de Negócios de Fluorquímicos da Chemours, Renato Cesquini, o fluído FreonT 410A é utilizado na fabricação de aparelhos de equipamentos de ar-condicionado residencial e comercial."Este fluido refrigerante é um HFC (suprimento que pode ser usado em diferentes aplicações) e tem substituído o R-22 em ar-condicionados, permitindo que o Brasil se adeque às normativas do Protocolo de Montreal para eliminação de HCFCs (substâncias destruidoras da camada de ozônio)". Cesquini enfatiza que o uso do FreonT 410A proporciona melhoria da eficiência energética em até 45%, em relação ao fluído R-22. "FreonT410A tem zero potencial de degradação da camada de ozônio e é uma alternativa segura ao R-22 (HCFC), pois apresenta alto desempenho e não é inflamável. Trazer essa tecnologia para produção local é um marco para o mercado brasileiro", comenta.

Para o presidente da Aficam (Associação dos Fabricantes de Insumos e Componentes do Amazonas), Cristóvão Marques, a nova unidade industrial deve contribuir com o desenvolvimento do setor. Ele explica que as fabricantes poderão comprar o fluído por meio de um fornecedor local, com redução no tempo de entrega. "Em meio a crise econômica recebemos mais uma fabricante no distrito industrial. A fábrica beneficiará às produtoras do bem final", afirma.

O doutor em engenharia eletrônica, consultor e proprietário da empresa Map Technology, Manuel Cardoso, considera que a instalação da nova empresa na capital contribui para o adensamento da cadeia produtiva do segmento de condicionadores de ar e consequentemente, gera o melhoramento da capacidade produtiva. Ele explica que uma empresa, ao depender da compra de componentes externos, fica sujeita ao tempo de transporte e recebimento do insumo, o que segundo ele, pode durar até meses. Na compra por parte de um fornecedor local há redução dos custos.

"Todo adensamento da cadeia produtiva fortalece a competitividade industrial. Se uma empresa solicita insumos de outro Estado ou país o tempo para que o fornecimento aconteça pode durar até meses. Durante o transporte, se houver variação de mercado, envolverá também custos. E quando a fabricação é local, o fornecimento se torna mais flexível, o comprador solicita somente o que necessitará de imediato com menores custos", analisa.

Sobre a Chemours
A Chemours atua no segmento de tecnologias de titânio, produtos fluorados e soluções químicas. Os ingredientes da Chemours são encontrados em plásticos e revestimentos, refrigeração e ar-condicionado, mineração e na produção industrial em geral. Os principais produtos incluem marcas como TeflonT, Ti-PureT, KrytoxT, VitonT, OpteonT, FreonT e NafionT. A Chemours tem cerca de 7.000 funcionários em 70 unidades produtivas que atendem a mais de 5.000 clientes na América do Norte, na América Latina, na região da Ásia-Pacífico e na Europa. A Chemours tem sede na cidade de Wilmington, no Estado do Delaware, nos EUA (Estados Unidos).

Comentários (0)

Deixe seu Comentário