Manaus, 23 de Julho de 2017
Siga o JCAM:

Pescado supre demanda sazonal do mês de abril

Por: Tânair Maria tmaria@jcam.com.br
12 Abr 2017, 15h09

A demanda do pescado tende aumentar em 100% nas feiras e mercados de Manaus, entre a Semana Santa e a Páscoa. Para este período, a meta é comercializar mais de 700 toneladas de pescado, segundo dados divulgados pela Sepror (Secretaria de Estado de Produção Rural e Sustentabilidade). A quantidade de pescado e os locais onde já estão funcionando as tendas do Feirão do Pescado, tradicional pela venda de peixes com preços mais acessíveis para o consumidor, foram definidos por 30 piscicultores amazonenses. Dados da Abipesca (Associação Brasileira da Indústria de Pescados), apontam um crescimento entre 15% e 17% para o setor durante esta semana, que compreende os domingos de Ramos e da Páscoa, na comparação o mesmo período de 2016. De acordo com o secretário Executivo de Pesca e Aquicultura do Sistema Sepror, Tomás Sanches, o Feirão do Pescado, já tem programação fechada para a Semana Santa, que começou ontem e segue até Sexta-feira Santa & Paixão de Cristo (14), em quatro pontos estratégicos da cidade: na Alameda do Samba, no Alvorada; no Centro de Convivência da Família Padre Pedro Vignola, na Cidade Nova; no Clube dos Oficiais da Polícia Militar, no Aleixo e no Feirão da Sepror, no Tarumã. "A ação do governo do Amazonas, que já é tradicional neste período, vai impulsionar a venda de pescado e melhorar a renda de mais de 60 piscicultores", informou.

No Amazonas, a Sepa (Secretaria Executiva de Pesca e Aquicultura), instituição integrante do Sistema Sepror, recebeu na última semana, 30 piscicultores para definir em conjunto a quantidade de pescado e os locais onde vão funcionar as tendas do Feirão, que já se tornou tradicional pela venda de peixe mais barato para o consumidor. "A participação dos piscicultores na organização do Feirão foi primordial. São eles quem nos passam as espécies de pescado e a quantidade que cada um pode comercializar, nessa semana em que o consumo de peixe cresce", destacou Sanches.

No Feirão do Pescado da Sepror os preços variam entre R$ 5 e R$ 25. O quilo do tambaqui, por exemplo, será comercializado entre R$ 5 e R$ 15. No primeiro dia, terça-feira, o Feirão passa a funcionar a partir das 18h e segue até às 21h. "Esse é o horário em que a maioria das pessoas saem do trabalho. É um horário de pico e para evitar o congestionamento é só aproveitar pra passar no Feirão do Pescado e garantir o peixe da semana'', comentou Sanches.

Nos dias 12 a 14 de abril, o Feirão do Pescado passa a funcionar das 7h às 21h. Nos quatro pontos do Feirão do Pescado, o produto será comercializado em diferentes cortes para assado ou caldeirada. Também serão vendidos peixes sem espinha e o consumidor ainda vai contar com a comercialização de verduras oriundos do Feirão da Sepror. A logística do Feirão do Pescado tem o apoio da ADS (Agência de Desenvolvimento Sustentável do Amazonas), que vai organizar as tendas, e da Adaf (Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas), que cuidará da fiscalização sanitária dos alimentos.

Peixes ofertados
Dados da Abipesca apontam que o período de Páscoa poderá alavancar crescimento entre 15% e 17% para indústria nacional de pescados, na comparação com 2016. Na mesa do consumidor, a Tilápia deve assumir papel de destaque junto bacalhau, por sua qualidade e preço mais em conta. Já os produtos mais nobres que devem ser consumidos neste ano são o Salmão e o Bacalhau, seguidos da Tilápia, e os peixes da bacia amazônica como Pirarucu, Tambaqui e Pintado.

Em Manaus, segundo o engenheiro de Pesca da Sepa, Daniel Borges, as espécies mais comercializadas nesse período são de tambaqui, matrinxã, pirarucu e ainda quelônios oriundos de áreas autorizadas pelo Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis).

Essas espécies são provenientes da piscicultura de áreas manejadas e respeitam o período do defeso que terminou no dia 15 de março, conforme calendário oficial. "A a comercialização do pirarucu e dos quelônios, só são comercializados mediante autorização do Ibama", alertou Borges.

Na Feira da Panair, localizada no bairro Educandos, zona sul de Manaus, os consumidores encontram uma variedade de peixe vendido por unidade. Entre as toneladas de pescado estão o tambaqui, pirarucu, sardinha, com destaque para a matrinxã. Os preços variam de R$ 15 até R$ 30 cada. Segundo o administrador da Feira da Panair, Tatai, a matrinxã é a espécie mais procurada nesta época do ano. "É só neste período que o matrinxã aparece. Depois da Páscoa ele some. Hoje os preços são praticados de acordo com o tamanho de cada matrinxã. Tem de R$15, R$20, R$25 até R$30 a unidade.

Na Rede de Supermercados DB, a novidade está na variedade de peixes tanto do rio quanto do mar. Segundo o gerente de Marketing, Guto Corbett, além do salmão, outras variedades estarão disponíveis durante a Semana Santa. "Neste ano, houve aumento de compra de peixe do rio e do mar. Além do salmão vamos ter o tradicional bacalhau e uma diversidade um pouco maior para atender a demanda dos nossos clientes", informou.

Locais do Feirão do Pescado da Sepror:
3 Alameda do Samba no bairro Alvorada, zona Centro-Oeste
3 Centro de Convivência da Família Padre Pedro Vignola na rua Gandú, nº 119, Núcleo 8, bairro Cidade Nova, zona Norte
3 Clube dos Oficiais da Polícia Militar do Amazonas na av. André Araújo, nº 2.800, bairro Aleixo, zona Centro-Sul
3 Feirão da Sepror que fica no Parque Eurípedes Lins, antigo local de realização da Expoagro, na av. Torquato Tapajós, s/nº, bairro Tarumã, zona Norte
Horários:
Dia 11, das 18h às 21h
De 12 a 14, das 7h às 21h

Comentários (0)

Deixe seu Comentário