Manaus, 22 de Novembro de 2017
Siga o JCAM:

Tudo Pelos Ares em seu voo mais alto

Por: Evaldo Ferreira eferreira@jcam.com.br
17 Abr 2017, 19h34

Este ano, em 32 anos de existência, o Amazonas se fará presente no Rock in Rio, e não apenas na plateia, aplaudindo os grandes astros, o que já acontece desde a primeira edição do festival, em 1985, mas sobre o palco, com a banda Tudo Pelos Ares.

A Tudo Pelos Ares nasceu em São Paulo, mas se tornou amazonense. "Ela existe desde 1994, quando eu e uns amigos começamos a fazer shows nas cidades do ABC paulista. Em 1996 vim pra Manaus, e ela passou a ter integrantes amazonenses", contou Eduardo Molotievscki, líder da banda. "A ideia do nome é porque queremos um rock pra cima, que contagie a galera. Ele sintetiza o espírito da banda", explicou.

A história de Eduardo com o Rock in Rio é antiga. No primeiro festival, ele estava lá. "Eu tinha 15 anos e fui com a minha mãe, que também gostava de rock. Lógico que a gente se imagina sobre o palco, cantando e tocando diante de milhares de pessoas, mas daí esse sonho se tornar realidade mais de 30 anos depois, realmente é uma coisa surreal", falou. Quando Eduardo veio para Manaus a trabalho, que nada tinha a ver com os shows de rock, é evidente que a formação original da Tudo Pelos Ares ficou para trás. Na capital amazonense ele teve que reunir novos roqueiros. "Hoje já estamos, acho, na terceira formação, porque aqui em Manaus ter, ou pertencer a uma banda de rock, se trata, diria, de um hobby. Temos que ter nosso emprego por fora. Por causa dessa vida paralela, às vezes não dá pra ensaiar, ou mesmo participar de um show. Por isso as formações vão se alterando", contou.

Fãs fiéis
Atualmente a Tudo Pelos Ares é formada por Eduardo, na voz e guitarra; Rubem Júnior, bateria; Marcelo Lima, baixo e Marcelo Neves, guitarra. Como todas as bandas de Manaus e, quem sabe, no mundo inteiro, tirando as famosas. Os rapazes "ralam" para se manter em evidência. "O primeiro disco da banda foi um compacto (a turma de hoje não sabe nem o que é isso), 'Corrida Suja', lançado em 1995; depois lançamos o CD 'Senta-a-pua', em 1996, pelo projeto Regatão Cultural, da prefeitura; em 2012 participamos de uma coletânea do Festival Caça Bandas, acontecido em Brasília; e no ano seguinte, de outra coletânea do Festival Amazonas de Música, aqui em Manaus", listou.

E hoje, como o caminho mais fácil para se atingir a fama são as redes sociais, é lá, no YouTube, que a Tudo Pelos Ares divulga suas composições autorais. "Temos várias músicas postadas no YouTube, mas a que está tendo mais visualizações é a 'Quem'. Podem procurar e compartilhem", riu, e completou. "Nos nossos shows temos que tocar os roques conhecidos. Se tocarmos as nossas composições, a maioria das pessoas não conhece e fica apenas olhando, mas têm aqueles fãs fiéis que nos seguem e cantam junto com a gente". São exatamente esses fãs fiéis que movem não só a Tudo Pelos Ares, mas todas as demais bandas que lutam por um espaço no Olimpo da música. "E são eles que compram nossos CDs e nossas camisas durante as apresentações", concluiu.

Palavras de Paulo Miklos
A Tudo Pelos Ares ganhou o direito de participar do Rock in Rio após passar por uma seleção no evento Banda Pop Rock Manaus promovido pela ManausCult (Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos). "Tinham mais de 30 bandas inscritas. Todas as feras de Manaus estavam lá. Achamos que alguma delas ia levar, mas botamos fé. Na seletiva, ficamos entre as 18. Quando sentimos a galera vibrando, aí começamos a ter alguma esperança. Depois que o Paulo Miklos falou pra nós que 'enquanto vocês estiverem tocando o rock não morre', aí ficamos confiantes que seríamos os escolhidos", lembrou.

Com o passaporte seguro para subir ao palco do Rock in Rio, em setembro, os integrantes da Tudo Pelos Ares se preparam para seu voo mais alto. "Não queremos só tocar no Rock in Rio. Queremos algo mais. Uma gravadora, por exemplo", adiantou.

Quem está dando a maior força para os rapazes é a recém-inaugurada Sonora Music (inaugurada ontem), um misto de estúdio de ensaios musicais, loja de objetos relacionados à música e, futuramente, um café. "Dispomos de instrumentos e equipamentos para eventos musicais, para aluguel", completou Danyelle Soares, uma das proprietárias da Sonora junto com as amigas Raquel Omena e Michelle Ponzetto. "A Tudo Pelos Ares é a primeira banda que estamos apoiando, pela proposta inovadora dos rapazes. Conosco eles poderão realizar ensaios, utilizar equipamentos e fazer gravação de programas sem pagar nada", garantiu Danyelle.

A banda atualmente está gravando músicas inéditas para o lançamento de um novo CD, e também produzindo um videoclipe da música Insaciável.

Os quatro jovens de Manaus não sabem qual será o dia de sua apresentação no mega espetáculo musical, no Rio de Janeiro, mas tem certeza de uma coisa: a esperança é a última que morre, ou ainda, enquanto há vida, há esperança, ou, quem espera sempre alcança.

Atrações definidas
Os sete dias de Rock in Rio 2017 já têm as atrações principais definidas e a programação quase completa. Os shows do festival vão acontecer nos dias 15, 16, 17, 21, 22, 23 e 24 de setembro. Neste ano, a Cidade do Rock vai ser montada no Parque Olímpico, na zona Oeste do Rio.Confira as atrações principais de cada noite do Palco Mundo: Lady Gaga (15), Maroon 5 (16), Justin Timberlake (17), Aerosmith (21), Bon Jovi (22), The Who e Guns N' Roses (co-headliners, 23) e Red Hot Chili Peppers (24).

Comentários (1)

  • Marcelo Neves18/04/2017

    Parabéns pela matéria Evaldo! Está ótima!
    E muito obrigado pelo espaço, sentimos imenso orgulho de ver a história da banda ser contada de forma sincera e bacana como você o fez!
    Um grande abraço!

Deixe seu Comentário