Manaus, 19 de Setembro de 2017
Siga o JCAM:

Infraestrutura terá R$ 1,6 bilhão no AM

Por: Divulgação
18 Abr 2017, 15h22

O governo do Amazonas vai investir R$ 1,675 bilhão na infraestrutura do Estado até o final de 2018. O anúncio foi feito pelo governador José Melo, na manhã desta segunda-feira (17), durante o lançamento de um pacote de obras para biênio 2017-2018, que contemplará Manaus e diversos municípios do interior, tendo as obras relacionadas ao desenvolvimento logístico e econômico da região como prioridade.

 O anúncio aconteceu na Sede do Governo, no bairro Compensa, zona Oeste da capital, com a presença do vice-governador Henrique Oliveira, da primeira-dama Edilene Gomes de Oliveira, parte do secretariado e de vários deputados estaduais que acompanharam a solenidade. De acordo com José Melo, as obras, muitas em andamento, serão essenciais para o desenvolvimento econômico do Amazonas, uma vez que estão diretamente ligadas à Nova Matriz Econômica Ambiental, com a recuperação de ramais nos municípios de Itacoatiara, Itapiranga, Rio Preto da Eva, São Sebastião do Uatumã, Autazes, Borba, Anamã, Careiro Castanho, Envira, Ipixuna, Guajará, Iranduba, Manacapuru, Manaquiri, e Tabatinga.  "Poucas pessoas sabem, mas esses ramais e vicinais são localizados em regiões extremamente produtivas e seu asfaltamento significa garantir uma logística melhor para os produtores rurais do nosso Estado que hoje perdem produtos por não conseguir escoar seus itens para a capital. Com essas obras, vamos potencializar isso e garantir renda para o nosso homem do interior", afirmou o governador.

 Emprego e renda - De acordo com José Melo, as obras de infraestrutura somadas às obras da área de Educação, já anunciadas com investimentos de R$ 1,1 bilhão, gerarão em torno de 35 mil empregos diretos, no Amazonas, melhorando a situação de milhares de famílias amazonenses. "Este é quase o mesmo número de postos de trabalho que perdemos na Zona Franca de Manaus devido a crise", comparou.

 O vice-governador Henrique oliveira foi mais longe e previu que as obras devem inserir pelo menos R$ 500 milhões na economia doméstica. "Isso representa pão na mesa da família, emprego para os pais e condições melhores para a população amazonense. Então, os ganhos são muito grandes e não se resumem a apenas cimento e tijolos", explicou.
 
Grande avenida tem obra em andamento
Dentre as obras apresentadas está a avenida das Torres, com o andamento dos trechos 2, situado entre a avenida Timbiras e a rua Curió, no bairro Cidade Nova, zona Norte, terá 1,2 km de extensão. Essa obra recebe o investimento da Caixa Econômica Federal, Proinvest e Tesouro Nacional, totalizando a ordem de R$ 52.288.602,21. O prazo para conclusão é dezembro de 2017.

Já o trecho 3, localizado entre a rua Curió, na Cidade Nova 1, até o Igarapé do Passarinho, no bairro Monte das Oliveiras, conjunto Nova Cidade, ainda na zona Norte, quando concluído, terá 1,7 km de extensão; e o trecho 4, que liga o Igarapé do Passarinho até a avenida Margarita, ainda no Nova Cidade, terá um total de 8,2 km de extensão. Em junho de 2016, foram liberados os primeiros 6,5 km do trecho 4 da avenida das Flores, localizado entre a rua 7 de maio, zona Norte, até a AM-010. Essas obras são com o investimento do Ministério das Cidades, Proinvest e Tesouro Nacional, totalizando a ordem de R$ 192.124.723,09. O prazo de conclusão é para dezembro de 2017.  Outra obra a ser apresentada são os Anéis Viários, os quais recebem o investimento do Ministério das Cidades e Tesouro Nacional. O Anel Sul, que compreende a duplicação da estrada do Tarumã, com 8,50 km de extensão, tem o investimento na ordem de R$ 81.187.473,60. O prazo estimado de conclusão da 1ª etapa é abril de 2018 e dezembro de 2018 para a 2ª etapa. O Anel Leste, constituído pela interligação da Reserva Duque até a Bola da Suframa, com 17,20 km de extensão, está orçado com o valor de R$ 163.888.300,82. A 1ª etapa está prevista para dezembro de 2017 e a 2ª para dezembro de 2018.  "Manaus não aguenta mais o tráfego constante de veículos pesados na cidade. Essa via vai garantir acesso direto às empresas do Polo Industrial ao Eduardo Gomes, que hoje é o segundo aeroporto com a maior movimentação de carga do país, perdendo apenas para o de Guarulhos", afirmou José Melo.
 
Mais obras na capital
O governo do Amazonas prevê também a entrega das seguintes obras, ainda na Bacia do São Raimundo:
 - O segundo trecho do Parque Linear das Cacimbas, entre as ruas do Rosário e São Sebastião, no bairro São Raimundo, onde serão executados serviços de galeria de macrodrenagem, urbanismo, paisagismo e equipamentos urbanos.

Com investimentos de R$ R$ 7.380.674,35, essa obra está prevista para ser iniciada ainda no primeiro semestre de 2017 e ser concluída em dezembro deste ano.

 - Ligação Viária Luiz Antony, no bairro Presidente Vargas, zona Sul de Manaus, que tem previsão de ser realizada entre março a dezembro deste ano, com a implantação de sistema viário, calçada, microdrenagem (meio-fio e sarjeta), ciclovia e urbanização da orla serão os serviços no valor previsto de R$ 42.466.088,10, além da execução da rede esgoto estimada em R$ 46.482.460,05 (esgoto).

 - Galeria de Afluentes do Mestre Chico 2 e da rua de Serviço, na rua Duque de Caxias, no valor de R$ 1.694.698,74, com a implantação de galeria de macrodrenagem  (drenagem profunda), urbanismo e paisagismo. Esse projeto tem previsão de ser executado entre maio a setembro de 2017.  Ainda na zona Sul de Manaus - Para o segundo semestre de 2017, o cronograma de obras do governo do Amazonas prevê iniciar obra do Trecho Silves a Maués, localizado entre as ruas Nova e Daniel Sevallo, no bairro da Raiz, zona Sul de Manaus. Nesta área, haverá intervenção de obras para implantação de galeria de macrodrenagem, paisagismo, viário e reforma no Campo do Betanhão, que está programado para ser concluído até o segundo semestre de 2018. Obra estimada no valor de R$ 77.988.320,62.

 Obra do Parque Bittencourt, entre as ruas Sete de Setembro e Emílio Moreira, no Centro, que contempla a revitalização do local, com recursos na ordem de R$ 1.062.121,25 e programação para ser executado no período de maio a setembro de 2017.

 Obra Prosamim CAF - O Prosamim tem intervenção de obras já em andamento para a área do Igarapé da Sharp, bairro Armando Mendes, zona Leste da capital. O projeto para essa área prevê a recuperação de 2.600m de igarapé e requalificação urbanística com a implantação de praças arborizadas, ciclovias, playground e área de ginástica, quadras de vôlei e futebol de areia e anfiteatro. O custo estimado da obra é R$ 71.337.729,59.

 Tudo está dividido em duas frentes de obras, a primeira iniciou em abril deste ano e a previsão é de ser concluída para dezembro 2017. A segunda frente de obras deverá ser realizada durante o período de abril a dezembro de 2018.
 
Legado na área do Mindú
Também inserido neste pacote de obras, está o projeto de requalificação socioambiental das nascentes e parte da área de preservação permanente da porção norte do igarapé do Mindú. Este será um dos maiores legados realizados por esta gestão do governo do Amazonas, a ser realizado por meio da Seinfra (Secretaria de Estado de Infraestrutura) e a SRMM (Secretaria de Estado de Desenvolvimento da Região Metropolitana de Manaus).

 O projeto encontra-se em estudos preliminares, e tem como principal objetivo a recuperação do meio ambiente local no estado estável alternativo ou intermediário e recuperação socioambiental da nascente e APP (Área de Preservação Permanente). Bem como já tem planejada as diversas etapas da obra, tais como dragagem, uma área de ciclovia, um estacionamento, áreas de jardins, plano de massa (gramados, forrões,  arbustos e arborização), jardim filtrante, horta mandala, canteiro sustentável e drenagem pluvial.  Essa obra vai realizar o restabelecimento da qualidade ambiental, preservação da estabilidade física e biótica, proteção da nascente e APP. O valor estimado da obra é na ordem de R$ 40 milhões, com início em agosto de 2017.  Região Metropolitana - A duplicação de 78,14 km da Rodovia AM-070, a estrada que liga Iranduba e Manacapuru, recebe o investimento do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), Proinvest e Tesouro Nacional. A obra está orçada em R$ 279.642.517,36 e tem como prazo de conclusão para junho de 2018.

 Ramal do Brasileirinho
Este projeto contempla a ligação entre a Rodovia AM- 010 (Manaus-Itacoatiara) e o Ramal do Brasileirinho. Com o valor de R$ 12.537.184,00, esta obra teve início em fevereiro de 2017 e tem previsão de ser concluído em janeiro de 2018. Tem ainda a duplicação da AM-010, com valor estimado em R$ 216.000.000,00. Este projeto contempla o trecho entre Manaus e o município de Rio Preto da Eva. No total serão 62 km de duplicação.
 
No interior, o ProsaiMaués é a maior obra
O governo do Amazonas está executando, por meio da SRMM, o ProsaiMaués (Programa de Saneamento Integrado de Maués) que tem como objetivo contribuir para a solução dos problemas de saneamento básico, urbanísticos e socioambientais que afetam a qualidade de vida da população e a sustentabilidade socioeconômica do município de Maués.

 ProsaiMaués prevê obras de recuperação nas Lagoas do Maresia, Prata e Donga Michilles, com projetos de requalificação urbanística incluindo serviços de macro e micro drenagem,  sistema  de  abastecimento  de  água,  de  esgotamento sanitário e urbanização, que contempla praças, estrutura para feiras e exposições e área para lazer e prática esportiva. Para a requalificação urbana das lagoas  Maresia, Prata e Donga Michiles as obras, com custo de R$ 48.978.986,60, iniciaram no mês de fevereiro deste ano e devem ser concluídas em agosto de 2018. 

 O ProsaiMaués também está executando as obras de perfuração de poços tubulares, unidades sanitárias e ligações domiciliares em 13 comunidades indígenas, que iniciaram em janeiro deste ano e tem previsão de ser concluído em agosto de 2017. O valor para essas obras é de R$ 2.056.390,00.

Comentários (1)

  • WELL19/04/2017

    No meu ponto de vista, o ESTADO DO AMAZONAS, já deveria ser INTERNACIONALIZADO, isso não quer dizer que seria um ESTADO INDEPENDENTE, mas sim, um ESTADO que deveria ser protegido INTERNACIONALMENTE pelo mundo todo, ser um ESTADO INTOCÁVEL e TORNARIA TODAS AS SUAS BIODIVERSIDADES, RIOS E FLORESTAS PATRIMÔNIO NATURAL DA HUMANIDADE, já que o PRÓPRIO GOVERNO FEDERAL não cuida e ainda por cima é o inimigo número 01(um) do ESTADO ou mesmo da AMAZÔNIA e sem contar que o próprio povo brasileiro, uma grande parte não está nem aí para o ESTADO DO AMAZONAS OU mesmo não estão nem aí para nossas florestas e rios. Isso seria mais um motivo de nossa AMAZÔNIA SER mais PROTEGIDA POR TODOS.
    Acho que nossos ADMINISTRADORES DO ESTADO DO AMAZONAS, já deveriam pensar nisso. Colocar um PROJETO protegendo o ESTADO DO AMAZONAS, sabe-se lá no futuro o quê poderá acontecer com todos.

Deixe seu Comentário