Manaus, 23 de Julho de 2017
Siga o JCAM:

Decoração do jeito masculino

Por: Evaldo Ferreira eferreira@jcam.com.br
19 Mai 2017, 18h57

Durante muito tempo a arquitetura foi considerada como uma profissão de mulher. Dizia-se que homem mesmo tinha que fazer engenharia. O preconceito persistiu até o momento em que os homens foram à luta enfrentando comentários e piadas maldosas. Achilles Fernandes, um dos arquitetos mais conhecidos de Manaus, já exerce a profissão há 17 anos e lembrou que na sua época de faculdade o número de alunos dos dois gêneros era o mesmo em sala de aula.

Achilles ainda é urbanista e designer de interiores. Para as três atividades é necessária muita criatividade, mas nem aí Achilles vê um gênero se sobressair ao outro. "Se existe uma coisa que não define criatividade é o fato de ser homem ou mulher. Seres humanos por si só já são bastante criativos", ensinou.

Mas quando o quesito é a escolha da decoração pelo cliente, aí as mulheres falam mais alto. "Sem sombra de dúvidas as mulheres, são sempre mais envolvidas com decoração do que os homens", garantiu. Quando os homens dão algum palpite é para pedir inclusões que chegam a ser um padrão entre a ala masculina, tipo uma churrasqueira. "Quando o projeto é residencial, a maioria quer conforto, aconchego e sofisticação. O mais comum é pedirem uma edícula com churrasqueira e uma área de lazer com piscina ou uma raia de natação, mas já aconteceu de um cliente solicitar algo bem exótico e erótico. Ele pediu que instalasse um pole dance dentro do quarto para que sua esposa pudesse dançar para ele", disse.

"Moldada" por ele
E a famosa frase "casa de ferreiro, espeto de pau", não pode ser aplicada a Achilles. Sua casa foi inteiramente "moldada" por ele. "E já serve de show room para os meus clientes. Sempre que possível eu os trago aqui para dar-lhes sugestões e, de repente, até copiar alguma das minhas ideias", riu.
Achilles mora na mesma casa onde nasceu e o local já sofreu três grandes transformações. "Primeiro meu pai construiu uma casa de madeira onde nasci e vivi minha infância. Depois, quando já era adolescente, ele refez a casa toda de alvenaria. Após me formar e conhecer mais profundamente sobre arquitetura, urbanismo e design de interiores, fiz uma reforma completa na casa e a deixei do meu jeito", contou. "Diria que tudo na minha casa é contemporâneo, da arquitetura à decoração. Usei muito duas cores neutras, o preto e o cinza claro, e pra quebrar a neutralidade, utilizei o amarelo", ensinou.
Na casa, o lugar preferido de Achilles é um cantinho da sala onde ele colocou uma poltrona Luiz XV, forrada com tecido tailleur da Chanel onde costuma beber seus vinhos com os amigos. "A poltrona e o tecido são os clássicos, agora dei um toque contemporâneo ao laquear a madeira de preto", explicou. Na parede, atrás da poltrona, vários quadros dos países por onde já viajou: França, Portugal, Itália, Alemanha.

Sobre a inspiração para pensar sempre em novidades para seus clientes, Achilles disse buscar exatamente em outros lugares, qualquer lugar, desde que exalem criatividade. "Não existe inspiração maior para um arquiteto que não sejam os lugares por onde passamos, principalmente em nossas viagens.

A feira de design de Milano seria o point, mas é nos lugares do mundo onde aprendemos, com certeza", concluiu.

O universo masculino
Uma casa de homem que mora só é, em geral, bem diferente da casa de uma família ou uma mulher que more sozinha. A maioria dos homens preza a funcionalidade, simplicidade, mas com tecnologia que facilite a vida e não gosta de muitas "firulas" ou cores demais. Muitas curvas e rococós são da esfera feminina, em geral.

Móveis sólidos, linhas retas, madeira, cores neutras, sobriedade e toques de uma sensualidade sutil, atende um grupo de homens, normalmente mais maduros e/ou sérios.

Mas os meninos (na mente ou na idade) irreverentes gostam de uma decoração mais aberta, em que as cores, a luminosidade e o bom humor tenham vez.

Estampas e artes geométricas, o estilo industrial, o cimento, a madeira, sofás grandes, pesados e confortáveis são "a cara" dos homens.

A tecnologia é importante e eles desejam facilidade de manutenção e durabilidade nos revestimentos. E gostam de móveis e ambientes multiuso: a ideia de uma sala de jantar que possa ser usada para estudo ou trabalho pode agradar a muitos.

Eles também podem gostar de uma decoração mais rústica, vigas aparentes, metal, couro.
Muitos sonham com ambientes integrados, lofts, banheiros simples, cozinhas e áreas de serviço pequenas, simples mas muito funcionais (mas se ele gostar de cozinhar -o que é cada vez mais comum -quer tudo que há de melhor, mantendo a praticidade -uma cozinha gourmet aberta para a área social, por exemplo). As cores: cinza, marrom, preto, vermelho fechado, azul escuro, verde escuro (eles gostam de cores fortes).

Quando escolhem cores vivas, preferem as mais puras: amarelo, vermelho, verde e azul "like" Mondrian é uma combinação aceita por alguns homens. Mas nada de salmão (ou qualquer cor que tenda ao rosa) e tons pastéis, considerados por quase todos "cores femininas".

Muitos deles gostam da referência a carros e esportes. Alguns tem ou gostam de coleções de diversos objetos do mundo masculino, principalmente os mais jovens.

Os homens gostam que sua personalidade e interesses "apareçam" na decoração das suas casas.

Comentários (0)

Deixe seu Comentário