Manaus, 11 de Dezembro de 2018
Siga o JCAM:

Nutrólogo ou nutricionista?

Por: Antônio Parente
03 Ago 2018, 19h20

Crédito:Julio Graziani e Divulgação: Evelyn Santos e Kalyne Lira
Em uma sociedade onde o consumo de produtos industrializados fazem parte da rotina das pessoas, a busca por uma boa saúde e uma alimentação mais equilibrada, têm levado inúmeros indivíduos a procurar profissionais capacitados na área de educação alimentar. E dentro deste cenário, ocorrem a dúvida: quem procurar? um nutrólogo ou um nutricionista? Qual a diferença destas duas áreas de atuações? Como e onde eles atuam?

De acordo com a Abran (Associação Brasileira de Nutrologia), a nutrologia é uma especialidade da medicina que estuda, pesquisa e avalia os benefícios e os malefícios causados pela ingestão de nutrientes, onde são aplicados conhecimentos para avaliar quais as necessidades orgânicas do corpo. A função também denominada de nutrologia funcional ou nutrologia médica.

Segundo a doutora Evelyn Santos de Paula, o Nutrólogo é formado em Medicina com pós-graduação ou residência na área de nutrologia e pode atuar em Hospitais, fazendo parte da equipe multidisciplinar de terapia nutricional ou em seu consultório particular.  

O profissional busca dar orientações a respeito de uma alimentação mais balanceada, visando corrigir peso (tanto o excesso quanto a falta) e preservar a saúde. Já o nutricionista, é um profissional não médico que cursou cinco anos da faculdade de nutrição, e pode ou não especializar-se ao término de seu curso superior. "O ideal é que o Nutrólogo e o Nutricionista trabalhem sempre em equipe, cada um assumindo o seu papel de acordo com sua área de atuação para um melhor tratamento ao paciente", disse.

A doutora explica, que a abrangência de atuação do profissional de nutrologia, inclui diagnosticar e tratar as doenças nutricionais  como a obesidade, hipertensão arterial e diabetes. Por meio de sua atuação, são aplicados conhecimentos para a avaliar as necessidades orgânicas da pessoa, com o objetivo realizar a manutenção da saúde e redução de risco de doenças. E ressaltou também, que os custos são individualizados e varia de acordo com o profissional e com os recursos que ele irá utilizar para realizar o tratamento de seus pacientes.

"Quando essas doenças são diagnosticadas solicitamos a realização de exames, e quando necessário, identificamos no paciente possíveis 'erros' alimentares, hábitos de vida ou estados orgânicos que estejam contribuindo para o quadro nutricional dele", disse.

Nutricionista

Já o papel do nutricionista é promover a qualidade de vida, saúde e bem estar através dos alimentos. Além de promover também, a educação em alimentação saudável montando dietas individualizadas a partir da análise de nutrientes no organismo, explicou a nutricionista Kalyne Lira Alves. "Ele é o profissional que tem o papel fundamental de educador. Ele estimula e ensina a população a se alimentar da maneira correta. E através disso, promover saúde estimulando os cuidados para prevenção de doenças. E quando o paciente é diagnosticado com alguma doença, cabe ao profissional elaborar uma alimentação para minimizar o agravo da doença  através da dieta do plano alimentar e dar qualidade de vida a pessoa" disse.

Alves conta, que dentro da nutrição o profissional pode atuar tanto na parte clínica quanto na avaliação nutricional. Além de poder trabalhar também, na parte de gestor dentro das unidades de alimentação e nutrição como restaurantes e cozinhas industriais. "Dentro desse campo de atuação, ele pode administrar o local com um olhar clínico para o controle higiênico sanitário, orientando os funcionários a realizarem o bom funcionamento do estabelecimento com os cuidados de higiene pessoal e a boa utilização de equipamentos que vão produzir o alimento", disse.

Outra área de atuação do profissional, é no campo de fiscalização de órgãos, tanto na esfera estadual quanto municipal, onde o profissional visita lugares que fazem vendas de produtos alimentícios como mercado, supermercados e feira.

"Eles podem atuar aplicando a multa dependendo da situação do local. E dentro da área de fiscalização ainda podem trabalhar dentro do conselho de nutrição. Em Manaus temos a delegacia de nutrição que é um agente fiscalizador dos estabelecimentos que produzem ou comercializam alimentos", conta.


Especialização

Quanto às especializações, Kalyne conta que tudo depende do interesse do profissional e da demanda que ele vai atender. E destacou, que atualmente tem aparecido no mercado muitas capacitações voltadas para a obesidade, emagrecimento, e personal dieta. Além de cursos voltados para uso de suplementos fitoterápicos e outras bem mais específicas para doenças no período da infância, como nutrição pediátrica. "As especializações são vastas na área de nutrição cabe muito ao profissional como ele pretende atuar", frisou.

Para a coordenadora de segurança alimentar, a nutricionista Janara Holanda Lírio, a nutrição tem se destacado bastante dentro no mercado de trabalho, com seu espaço cada vez mais garantido em diversos setores, tais como:nutrição clínica, indústria de alimentos, nutrição esportiva, saúde coletiva, escolas, marketing na área de alimentação e nutrição, segurança alimentar.

"A área de atuação é muito vasta, o que incentiva os nutricionistas se qualificarem, procurando terem um diferencial no mercado de trabalho. Hoje podemos encontrar nutrição infantil, nutrição esportiva, nutrição aplicada à estética, nutrição hospitalar, e segurança Alimentar. As pessoas  sempre estão em busca constante de uma alimentação com qualidade e uma vida mais equilibrada", disse.

Quanto aos custos do tratamento na área, a especialista explica que os custos variam dependendo da área de atuação do profissional e listou algumas médias de preços de consulta.

"A assessoria nutricional e consultoria em nutrição custa em média R$150 a hora. Um cardápio personalizado semanal R$ 300. Palestra e treinamento de funcionários R$600 hora. Consulta clínica em torno de R$ 250. Esses são as médias de valores", disse.

Apaixonada pela área de segurança alimentar, uma das áreas de atuação da nutrição, Janara conta que é de extrema importância que todos os processos estejam alinhados para que o produto final seja seguro e satisfatório. "Coordenar equipe, implantar rotinas, garantir a higiene, implantar manual de boas práticas e os procedimentos operacionais padronizados são fundamentais para a qualidade dos alimentos", disse.

Dicas do profissional

"Alimentação saudável consiste em consumir mais alimentos naturais, não processados, do que os industrializados. Um consumo moderado de sódio e açúcar garantem mais saúde e menor risco de desenvolvimentos de doenças crônicas como hipertensão e diabetes mellitus. Frutas, verduras, legumes, ovos, carne, frango, peixe são algumas opções saudáveis que devem fazer parte do dia a dia da alimentação da população. Refrigerantes e demais bebidas açucaradas devem ser evitados ao máximo, e bebida alcoólica deve ser restringida a quantidades mínimas, de preferência apenas aos finais de semana. Alimentos ricos em gordura trans e conservantes como sorvete, pizza, cachorro quente, sanduíches, salgados, devem ser evitados, bem come doces em excesso. Às crianças de até 2 anos de idade, não deve ser administrado nenhum alimento com açúcar, pois isso faz com que a criança aceita melhor alimentos saudáveis como verduras, legumes e hortaliças"

*Evelyn Santos de Paula é médica, atuante na área de Nutrologia, formada pela UFAM (Universidade Federal do Amazonas)

Perfil profissional

  • Kalyne Lira Alves
  • é nutricionista formada pela Ufam (Universidade Federal do Amazonas), e especialista em nutrição nefrologia, campo que atua nos cuidados de doenças renais e especialista em nutrição personal diet.

    Comentários (0)

    Deixe seu Comentário