Manaus, 14 de Novembro de 2018
Siga o JCAM:

Municípios perdem com retração populacional

Por: Andréia Leite
30 Ago 2018, 14h04

Em um ano oito municípios do Estado apresentaram retração na taxa populacional, a maior expressividade está no município de Japurá que apresentou (-13,67%) com 3.265 habitantes. Os dados foram divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgados ontem (29) referentes ao ano de 2017. Manaus segue como a cidade mais populosa do Estado e a 7ª do país com 2.130.264.

Depois de Japurá, os municípios com perda na taxa populacional foram Fonte Boa (-3,30%) Jutaí (-2,91), Santo Antônio do Iça (-1,65%), Tapauá (-0,84%), Urucará (-0,78%), Tefé(-0,51%) e Itamarati (-0,48).

O economista Francisco Mourão Júnior explica que esses resultados refletem na situação de como se encontra o Amazonas, aos 51 anos de modelo Zona Franca de Manaus (ZFM). " O modelo foi criado numa determinada área em que O decreto 288, é um modelo concentrador, as empresas estão na capital ele provoca esse êxodo da população que reside no interior e vai pra ir pra capital. Não surtiu o efeito esperado. O interior iria servir de base para produtos primários e também atender o setor industrial do próprio modelo, mas isso não aconteceu", disse.

"Manaus é abastecida nesses segmentos por produtos quem vem de outro estado provocando um esvaziamento econômico do interior. Como não há emprego, as famílias se deslocam para capital. Esses municípios se mantém de recursos estaduais e federais e esses dados comprovam a ausência de uma política desenvolvimento econômico para o crescimento desses municípios", explicou Mourão.

Ele reitera que essa migração causa problemas de inchaços na capital, que não possui infraestrutura para receber quem vem dos municípios. Além do fato de não existir desenvolvimento para provocar a geração de emprego e renda.

O presidente da AAM (Associação Amazonense dos Municípios) Adreson Cavalcante declarou que o baixo, ou nenhum, crescimento populacional de alguns municípios do interior do Amazonas pode ser creditado, além de outros fatores, a migração dos moradores destas cidades para a capital Manaus. Essa tem sido uma prática constante em muitos municípios do Amazonas.

Entre os principais motivos dessa migração podemos incluir a busca pela capacitação nas universidades públicas, por mais oportunidades de emprego na capital e até mesmo a aproximação com familiares, muitas vezes já residentes de Manaus e que oferecem melhores condições de moradia.

Vale lembrar que muitos municípios do interior sofrem com falta de estrutura em alguns aparatos públicos como saúde, infraestrutura e segurança, situação que a Associação Amazonense de Municípios (AAM) vem tratando junto ao governo do Estado, que constantemente promove investimentos em todo o interior.

Dados

O disseminador regional do IBGE, Adjalma Nogueira, explicou que as estimativas populacionais municipais servem de parâmetros para o TCU (Tribunal de Contas da União) calcular o FPE (Fundo de Participação de Estados e Municípios) e servem de referências para vários indicadores demográficos. "O contingente populacional serve como base para os repasses de verbas federal e estadual", disse Adjalma.

Saiba mais

Depois de Manaus os municípios de Parintins( 113.68) Itacoatiara( 99.995) Manacapuru (96.236) e Coari (84272) estão com maiores concentrações populacionais respectivamente.

Japurá é o município com menor população (3265 habitantes). Vindo a seguir Itamarati, Itapiranga e Silves, todos com menos de 10 mil pessoas.

Levantamento

A Estimativa da População demonstra que quatro municípios do Estado estão com a população judicial, ou seja, o quantitativo populacional foi estabelecido pela justiça. São eles: Manaquiri, Santa Isabel do Rio Negro, Urucará e Uarini.

As estimativas da população residente para os municípios brasileiros, com data de referência em 1º de julho de 2018, foram calculadas com base na Projeção de População (Revisão 2018) divulgada em 25/07/2018. Essa revisão incorporou os imigrantes venezuelanos no Estado de Roraima, estes 99% estavam concentrados nos município de Boa Vista e Pacaraima.

As populações dos municípios foram estimadas por um procedimento matemático e é o resultado da distribuição das populações dos estados, projetadas por métodos demográficos, entre seus diversos municípios. O método baseia-se na projeção da população estadual e na tendência de crescimento dos municípios, delineada pelas populações municipais captadas nos dois últimos Censos Demográficos (2000 e 2010). As estimativas municipais também incorporam alterações de limites territoriais municipais ocorridas após 2010.

Comentários (0)

Deixe seu Comentário