Manaus, 22 de Outubro de 2018
Siga o JCAM:

Qualificação intelectual na Indústria 4.0

Por: Andréia Leite
21 Set 2018, 18h36

Será lançado na próxima segunda-feira (23), o edital de pós-graduação em Indústria 4.0. O programa é uma parceria da UFAM (Universidade Federal do Amazonas), com a UEA (Universidade do Estado do Amazonas) e Uporto (Universidade do Porto) com articulação do Mdic ( Ministério da Indústria e Comércio Exterior e Serviços).

De acordo com o diretor de Inovação Tecnológica da UFAM, Genilson Pereira, o curso de especialização em engenharia de produção com ênfase na indústria 4.0, servirá como curso preparatório para o mestrado e doutorado em Engenharia Mecânica e Gestão Industrial que será administrado pela Uporto em 2019.

Ele destacou a importância desse tipo de incentivo e parceria que vai proporcionar aos profissionais mão de obra mais qualificada no processo tecnológico.

"Estamos engatinhando no processo de industrialização 4.0, mas precisamos estar preparados para essa revolução. Procurar colocar o Amazonas nesse caminho, que já está batendo a nossa porta. O processo de revolução passou por etapas. E chegamos a quarta, é tempo de qualificar profissionais", destacou.

O curso de pós-graduação inicia dia 12 de novembro e será realizado na Faculdade de Tecnologia da UFAM, com a previsão de duas turmas. Serão 60 vagas para os interessados com inscrições e curso gratuitos.

O diretor explicou que haverá duas seleções para o programa de mestrado e doutorado em Engenharia Mecânica e Gestão Industrial haverá a primeira pela Ufam e segunda pela Universidade do Porto com 20 vagas para mestrado e 20 para doutorado, todas ministradas por professores UFAM, UEA e da Uporto. O alunos podem ter aulas tanto no Brasil quanto em Portugal, além de aulas com pesquisadores convidados da comunidade científica brasileira.

Lançado no último dia (6), será a primeira qualificação do país a ser oferecida por uma instituição.

Financeiro

Ainda segundo Genilson Pereira A Fundação de Apoio Muraki estará a frente do gerenciamento dos recursos que serão orçados em torno de R$5 milhões.

Agenda Brasileira

A Agenda Brasileira para a Indústria 4.0 traz um conjunto de ações para auxiliar o setor produtivo em direção ao futuro da produção industrial. São 10 medidas pragmáticas e concretas que vão desde a sensibilização e engajamento das indústrias, passando pela prototipação e testes de fábricas do futuro, requisitos legais e de talentos, financiabilidade e conexões globais. As medidas estão detalhadas no site www.industria40.gov.br.

Como parte da agenda, foi publicada, em maio, uma resolução para estimular a migração das fábricas instaladas na Zona Franca de Manaus para o conceito de Indústria 4.0. O texto permite que as empresas que produzem bens de informática na Amazônia Ocidental e no estado do Amapá apresentem - em sua programação obrigatória de investimentos em pesquisa, desenvolvimento e inovação para a obtenção de incentivos fiscais específicos da região - atividades orientadas para sua atualização tecnológica e capacitação rumo à Indústria 4.0.

A resolução determina que sejam reconhecidos como dispêndios em atividades de PD&I os gastos na execução ou contratação das atividades que se refiram à aquisição de máquinas e equipamentos 4.0 - como robôs industriais e colaborativos, sensores, máquinas de comunicação avançada, etc.

"A estratégia para a Indústria 4.0 visa fomentar a modernização das indústrias de todo o país para que possamos trazer conceitos de internet das coisas, de inteligência artificial, robôs colaborativos para dentro das nossas indústrias e possamos assim ser mais produtivos e competitivos e não ficarmos atrás de países que estão mais avançados nessa temática", afirma o ministro Marcos Jorge.


Comentários (0)

Deixe seu Comentário