Manaus, 14 de Novembro de 2018
Siga o JCAM:

Bolsonaro escolhe o 4º ministro

Por: Antônio Parente
31 Out 2018, 18h56

Crédito:Antonio Parente
O astronauta Marcos Pontes, de passagem por Manaus para participar de um evento de robótica, recebeu um telefonema, em plena reunião com a imprensa local, do presidente eleito, Jair Bolsonaro, ontem (31), convidando-o para assumir a pasta do Ministério da Ciência e Tecnologia. Em postagem no Twitter, o presidente eleito Jair Bolsonaro confirmou a presença do tenente-coronel como novo ministro. "Comunico que o Tenente-Coronel e Astronauta Marcos Pontes, engenheiro formado no ITA, será indicado para o Ministério da Ciência e Tecnologia. É o quarto Ministro confirmado", postou.

O candidato confirmou a proposta de campanha, onde deixou claro que os cargos de ministros serão ocupadas por pessoas técnicas e não por indicação política. E destacou, que qualquer outra informação postada que não fosse em sua rede social, não são informações oficiais. "Nossos ministérios não serão compostos por condenados por corrupção, como foram nos últimos governos. Anunciarei os nomes oficialmente em minhas redes. Qualquer informação além é mera especulação maldosa e sem credibilidade", escreveu em postagem.

Em coletiva do lançamento do Torneio Sesi de Robótica, realizado ontem no Clube do Trabalhador, Pontes ainda não havia sido oficializado como ministro. Interrompido da entrevista, ele foi surpreendido por uma ligação do então presidente eleito, Jair Bolsonaro, confirmando a sua presença na equipe de ministros do novo governo. Animado, o astronauto mostrou-se bastante motivado para contribuir com a nova etapa do ministério de ciência e tecnologia e disse que é um privilégio fazer parte desse novo processo de transformação do país.

"Agora sim posso responder como ministro. Estão liberadas as perguntas", disse Pontes em meio a um leve sorriso descontraído. "Estou extremamente feliz. Agora é muito trabalho pela frente. Temos em mente o trabalho de forma integrada, tanto com pesquisa básica e aplicada, ouvindo os diferentes setores e entidades para ouvir soluções. Ninguém faz nada sozinho, precisamos ouvir as pessoas", disse.

Na ocasião, o novo ministro falou da importância de incentivar nas escolas de todo Brasil, trabalhos que mostrem aos estudantes a importância da ciência e tecnologia, não apenas como instrumento de novos conhecimentos, mas como ferramenta para moldar futuros profissionais da área. E elogiou a iniciativa da CNI (Centro Nacional da Indústria) em realizar o evento.

"Vejo a educação como base para a solução de todos os problemas que vemos no Brasil. Eventos e iniciativas como esta são muito importantes, porque mostra ciência e tecnologia para motivar jovens na educação. Não se trata apenas do conhecimento em si, mas, isso ensina o trabalho em equipe e liderança. Isso é importante para o desenvolvimento pessoal dessas crianças que serão profissionais no futuro. Gostaria muito que isso fosse espalhado em todas as escolas do Brasil", disse.

Perguntado sobre o fato do Brasil ser um grande importador de tecnologias, Pontes falou da importância da atuação do ministério de ciência e tecnologia para agregar mais valor no desenvolvimento e na criação de tecnologia própria, como política de estado.

"Tudo começa na pesquisa básica que dentro desse contexto ele direciona gera ideias que possa ser integradas para que possamos gerar soluções. Muitas vezes as pessoas não dão valor a ela. Se juntarmos várias empresas e trabalharmos as peculiaridades de cada região poderemos criar um ambiente favorável para ciência e inovação. Sempre dentro da vocação de cada região", disse.

Tendo em vista a realidade de cada região do país, o astronauta foi enfático ao dizer que todo projeto de desenvolvimento tecnológico, tem que gerar emprego, renda e retorno para o Brasil.

"Como sempre digo, educação para formar cidadãos qualificados; ciência, para desenvolver ideias e soluções específicas para o Brasil; tecnologia, para transformar essas ideias em inovações, que vão se transformar em novos produtos. Estes vão se transformar em novas empresas, que vão gerar novos empregos. Esse ciclo virtuoso é o que a gente quer criar aqui no Brasil", disse.

Perfil

Engenheiro aeronáutico formado pelo ITA (Instituto Tecnológico de Aeronáutica). Marcos Pontes é mestre em Engenharia de Sistemas pela Naval Postgraduate School, California, EUA. Em 2006, ele entrou para história como primeiro astronauta brasileiro a compor uma missão espacial. Na ocasião, ele embarcou na nave russa Soyuz-TMA 8, acompanhado do norte americano Jeffrey Williams e o russo Pavel Vinogradov, em direção a estação espacial internacional. Atualmente dá palestras e trabalha na Nasa e é embaixador da Boa Vontade na ONU (Organização das Nações Unidas).

Comentários (0)

Deixe seu Comentário