Manaus, 14 de Novembro de 2018
Siga o JCAM:

Um museu a céu aberto

Por: Evaldo Ferreira - evaldo.am@hotmail.com
31 Out 2018, 19h02

Crédito:Evaldo Ferreira
Poucas pessoas sabem, mas Manaus possui dez cemitérios espalhados pela cidade, porém, o mais conhecido de todos é o São João Batista, com seus 117 anos de existência, mais de 130 mil sepultados e mais de 19 mil sepulturas. São exatamente as sepulturas do São João Batista, boa parte delas, que fazem a diferença. Mais do que um local para a morada eterna, algumas dessas sepulturas são sóbrias e belas obras de arte, feitas por artistas desconhecidas que transformaram o espaço do campo santo num museu a céu aberto.
Na Europa, e mais recentemente no Brasil, já existem até roteiros turísticos com visitas a cemitérios onde estão enterradas personalidades e fazem sucesso, principalmente, os túmulos de artistas famosos. E Manaus, se as agências de turismo ainda não descobriram esse segmento, pesquisadores das histórias da cidade já.
"Ano passado, junto com o pessoal do blog 'Manaus de Antigamente', fizemos uma visita/passeio ao São João Batista no aniversário de Manaus, 24 de outubro. Chamamos os interessados pelas redes sociais e quando foi no dia, para espanto nosso, mais de cem pessoas compareceram para o evento", lembrou Fábio Augusto que, junto com o também pesquisador das histórias da cidade, Ed Lincon Barros, foi matéria no Jornal do Commercio após realizarem um levantamento dos prédios históricos da cidade que estão em ruínas e em vias de desabar.
Este ano, agora pelo blog 'História Inteligente', de Fábio, a dupla vai realizar um novo passeio pelo São João Batista, no próximo dia 4, domingo. "Não dá pra fazer no dia 2, Dia de Finados, porque o cemitério fica lotado de pessoas, por isso optamos pelo domingo", explicou.

Passeio rico de informações
"O nome do passeio será: Cemitério São João Batista, um museu a céu aberto. O encontro será às 9h, na capela do cemitério e deve durar de 1h30 a 2h. É gratuito", adiantou.
"Vamos percorrer as ruas do campo santo, seguindo um roteiro pelos túmulos de pessoas que deixaram seu nome na história de Manaus e contando um pouco de suas histórias", revelou.
"Podemos destacar os adolescentes Delmo Pereira, 17 anos, que foi assassinado por taxistas furiosos e se tornou um ícone dos casos policiais de Manaus; ou Etelvina, que virou Santa Etelvina, assassinada aos 17 anos, por um apaixonado não correspondido; e Ária Ramos, 15 anos, não se sabe até hoje se assassinada ou morta acidentalmente pelo namorado", contou. "Entre os artistas, lembraremos do grande documentarista Silvino Santos; do inesquecível cantor de boleros Abílio Farias; do escritor e poeta Aníbal Beça, e do ventríloquo Oscarino Varjão cuja frase no túmulo é 'Tu é leso, é?', sempre usada pelo seu boneco Peteleco", falou. "Já entre os políticos, são vários. Quanto mais antigo, mais belo é o túmulo. Eduardo Ribeiro, Álvaro Maia, Gilberto Mestrinho, Silvério Nery, governadores; Jeferson Peres, Cunha Melo, Fábio Lucena, senadores, que integram uma lista de outros senadores amazonenses mortos enquanto ocupavam o cargo", completou.
"Ainda visitaremos o setor dos judeus e, lógico, o túmulo do rabino Shalom Emanuel Muyal, que muitos católicos consideram santo. Tem também uma quadra que é só das famílias árabes. Ano passado teve gente que gostou tanto do passeio, que lamentou quando ele encerrou, mas se formos visitar todos os túmulos interessantes. teremos que ficar bem uma semana dentro do cemitério", brincou.
"O túmulo que mais gosto é o de uma senhora que morreu aos 92 anos, no início do século passado. Três estátuas, em tamanho natural, representam ela bem velhinha, amparada pelas duas filhas, já velhas. Uma verdadeira obra de arte", comentou.

O amigo fiel
Ed Lincon lembrou que o São João Batista foi inaugurado em 5 de abril de 1891, para substituir o cemitério de São José, que já estava saturado.
"As ossadas do São José foram levadas para o São João Batista e ocupam o Santo Cruzeiro. Consta que o primeiro enterro deste cemitério foi o do médico baiano Aprígio Martins de Meneses, de 47 anos, enterrado no dia 19 de abril daquele ano. Ele era poeta, historiador e chegou a ser vereador em Manaus. Já o pesquisador Durango Duarte descobriu que no dia 6 de abril, um dia depois da inauguração do São João Batista, uma meninazinha de um ano, Maria, teria sido a primeira a ocupar aquelas terras", informou.
"Os túmulos que mais gosto são aquele com as mãos postas como numa oração, e outro com a estátua de um cachorrinho dourado. Meu avô contava que o dono desse cachorro morreu e ele passou a ficar junto ao túmulo. Quando o animal morreu, a família de seu dono o enterrou no local e mandou fazer aquela estátua", falou.
"Destaco aqui o túmulo do Rocha dos Santos, empreendedor, fundador do Jornal do Commercio, morto em 1909. Está bem ao lado do túmulo do grande governador Eduardo Ribeiro, morto em 1900", finalizou.

***

Comentários (0)

Deixe seu Comentário