Manaus, 10 de Dezembro de 2018
Siga o JCAM:

Segurança e reformas na pauta do novo governo

Por: Andréia Leite
16 Nov 2018, 17h02

Crédito:Marcelo Camargo/Agência Brasil
Entre governadores eleitos e reeleitos, dos 20 estados, o governador Wilson Lima ( PSC) compareceu ontem (14), em Brasília, no Fórum de Governadores Eleitos. No encontro que serviu como aproximação entre os parlamentares, foi apresentado demandas de diversas áreas de cada Estado numa carta destinada ao presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL). E teve como pano de fundo a defesa das fronteiras, combate ao crime organizado, reformas da previdência e tributária.

O governador eleito do Amazonas, Wilson Lima, ressaltou a necessidade de estabelecer um consenso, levando em consideração as diversidades brasileiras. Apresentou o Amazonas como um Estado, que apesar de ter um território de 1,5 milhão km² e ser preservado ambientalmente, enfrenta problemas de ordem social de igual proporção, cuja solução depende de integração, combate ao narcotráfico e proteção da Zona Franca de Manaus.

Em seu discurso, Lima destacou a segurança das fronteiras enfatizando a responsabilidade de todos os estados da federação. "Segundo estimativas das polícias civil, militar e federal passam pelo Amazonas cerca de 100 toneladas de drogas por ano, que entram pelas nossas fronteiras e seguem para outros estados. É injusto que o Estado do Amazonas tenha de arcar sozinho com este ônus da proteção das fronteiras. As reformas da previdência e tributária são essenciais. Esta última é a que mais nos preocupa. Algumas propostas ferem de morte a Zona Franca de Manaus, cujo modelo foi criado para proteger uma região estratégica para o Brasil e para o mundo. Nos últimos cinco anos, perdemos cerca de 50 mil postos de trabalho. 82% das atividades econômicas do Estado estão concentradas na capital por conta desses incentivos, que, hoje não podem ser mexidos. Precisamos de apoio do governo federal assim como dos senhores para reduzir a desigualdade", pontuou Lima.

A realidade da BR-319, também foi lembrada pelo governador Wilson Lima, que pediu apoio para os gargalos que limitam a reestruturação, pontuando o isolamento que o Amazonas sofre em relação ao demais estados "O Estado do Amazonas tem uma das maiores riquezas naturais do mundo. No entanto, metade da nossa população vive na linha da pobreza. Essas desigualdades precisamos corrigir. Faço aqui um apelo de um amazônida para que a gente continue preservando a floresta, mas não temos como fazer isso se não houver desenvolvimento social", finalizou

Wilson Lima falou ainda sobre a reforma da previdência e reforma tributária como objeto fundamental para equilibrar os Estados. "Peço que tenhamos voz neste processo da reforma tributária porque há algumas propostas que acabam ferindo a ZFM, o incentivo dela foi criado para proteger uma região estratégica para o Brasil e para o mundo e garantir a ocupação e geração de emprego e renda.Nos últimos cinco anos em razão da crise econômica em razão do avanço da revolução 4.0, nos perdemos 50 mil postos de trabalho, 82% das atividades econômicas do estado estão concentradas no PIM sob o guarda-chuvas deste incentivo, estes estão na constituição Federal e não podem ser mexidos. ele preocupa muito a questão do imposto sobre importação, do IPI é algo que precisa ser levado em consideração", destacou.

O governador eleito finalizou pedindo apoio do governo federal, aos parlamentares, Câmara dos Deputados e do Senado para que ajudem a dar continuidade a preservação da floresta amazônica, mas com desenvolvimento social.

Encontro

O presidente Bolsonaro agradeceu a presença de todos os governadores e recebeu a carta de demandas. Ele e Paulo Guedes abordaram o Pacto Federativo no sentido de garantir recursos para que os estados façam investimentos. Ratificaram a defesa ambiental, mas com desburocratização para a emissão de licenças que permita a pavimentação da BR-319 e exploração mineral, projeto de viabilidade econômica que conta com o apoio do presidente eleito.

O encontro foi organizado pelos governadores eleitos do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), de São Paulo, João Dória (PSDB) e do Rio de Janeiro Wilson Witzel (PSC), no Centro Internacional de Convenções do Brasil, em Brasília,

O governador do Distrito Federal abriu o evento agradecendo o espírito colaborativo dos 20 governadores eleitos que se dispuseram a participar, mesmo ainda não tendo tomado posse. "Esse é um encontro não apenas de governadores, mas de esperança nacional. Espero que seja o primeiro de muitos encontros para discutir os problemas com o intuito de encontrar soluções", reforçou Ibaneis.

Comentários (0)

Deixe seu Comentário