Manaus, 10 de Dezembro de 2018
Siga o JCAM:

Décimo terceiro traz fôlego

Por: Andréia Leite
27 Nov 2018, 16h38

Crédito:Walter Mendes/Acervo JC
Até dezembro, a economia local terá um incremento de R$ 304 milhões com a antecipação da segunda parcela do 13º que começou a ser paga ontem (26), pelo prefeito Artur Neto, para os servidores inativos do município, já para os servidores ativos, o pagamento será realizado no próximo dia 7 de dezembro. Os recursos beneficiam 33 mil servidores. Com a liberação do montante, os setores de serviços e do comércio devem ganhar um fôlego.

Como já havia anunciado no início do mês, o prefeito acreditou que só foi possível essa antecipação à organização financeira da prefeitura. "Estamos fazendo as antecipações todas, que são fruto de nossa organização financeira, mas com muita sensibilidade a quem já deu seu coração por Manaus e por aqueles que trabalham pela cidade neste momento. É assim que age quem respeita os princípios da administração pública e as pessoas que nela trabalham", disse Arthur.

O prefeito afirmou ainda que essas antecipações representam uma grande contribuição para o comércio local para o período natalino. "Nós estamos injetando uma quantia muito expressiva de dinheiro na veia do comércio e na veia de certa parte da indústria e, com isso, movimentando a economia, garantindo empregos e ampliando o número de vagas no mercado", afirmou o prefeito.

Embora os recursos cheguem em boa hora, uma pesquisa divulgada pela CDL-AM (Câmara de Dirigentes Lojistas do Amazonas) aponta que o ao menos (22,42%) dos amazonenses pretendem quitar as dívidas. De acordo com os dados, a quantidade de pessoas que vão pagar dívidas aumentou 1,79% frente a 2017.

O economista Herlon Almeida explica que ao limpar o nome e quitar as dívidas, o consumidor traz um alívio para a economia porque é um recurso de certa forma fica preso e quando quita essa inadimplência ela é injetada no setor privado. "Quando essa dívida está parada e é sanada, ela é transferida ao setor capitalista que trabalha mais rápido e isso é positivo para economia. O empreendedor ele tem mais habilidades gerar esse recurso e fazer com que esse valor agregado se torne mais robusto e gere riqueza mais rápido".

Segundo Herlon Almeida essa antecipação é muito válida traz poder de barganha para o consumidor adquirir poder de compra ou até mesmo pagar as dívidas. De uma forma ou de outra, isso traz um ganho para a economia porque ela fica impulsionada. "O município pagando o décimo, parte dessa recurso volta em tributação para o próprio município e a nossa cadeia de tributação gira em torno de 47% isso retorna aos cofres públicos", explicou o economista ressaltando que a iniciativa torna a economia mais dinâmica gerando renda e nova demanda por produtos e serviços novamente.

Outros pagamentos

Com previsão de pagamentos da última parcela do 13º, os servidores do Estado devem receber o benefício até o dia 20 de dezembro. Os recursos devem injetar R$ 200 milhões na economia.

De acordo com estimativas do Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) a economia brasileira vai receber um aporte de R$ 211,2 bilhões com o pagamento do 13º, que representa cerca de 3% do Produto Interno Bruto (PIB). O valor vai beneficiar cerca de 84,5 milhões de trabalhadores do mercado formal, além de aposentados, pensionistas e empregados domésticos. O estudo aponta ainda um rendimento adicional de R$ 2.320,00, com fonte na relação anual de Informações Sociais (Rais) e do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho.

Os estados da região Sudeste ficarão com 49,1% do pagamento do 13º salário, seguido pelos estados do sul com 16,6%, Nordeste com 16%, Centro-oeste com 8,9% e Norte com 4,7%. A maior parcela que será paga aos assalariados do setor de serviços (incluindo administração pública), que receberão R$ 137,1 bilhões, ou 64,1% do total destinado ao mercado formal. Os empregados da indústria receberão 17,4%, os comerciários 13,3%, enquanto que os da construção civil ficarão com 3,1% e da agropecuária com 2,1%. Valor médio O valor médio do 13º salário do setor formal ficará em R$ 2.927,21, sendo que a maior média será paga aos trabalhadores do setor de serviços com valor de R$ 3.338,81 e o menor para os trabalhadores do setor primário da economia, com R$ 1.794,86. A economia paulista receberá cerca de R$ 60,7 bilhões, ou 28,8% do total do Brasil. Os beneficiados são estimados em 21,6 milhões, equivalente a 25,6% do total.

Comentários (0)

Deixe seu Comentário